IBC Santo André





Clique para visualizar:


Fogo Aceso
Feliz Ano Novo!
Por que 25 de dezembro?
Símbolos e Realidade
Natal com Jesus
Ilhas da Vida
Fé e Paciência
Mesa do Senhor
Prioridade: Família
Mantenha a Fé
Jesus Voltará
Fazer Discípulos
Choro Amargo
Anjo da Liberdade
Pai Nosso
A Escolta
Jesus e as Leis
Novo que se Renova
Milagres Lá Fora
Pequenas Coisas
Princípio e Fim
Princípio e Fim
Julgar
Experiência
"Luz"!
Um Roteiro de Vida
Soldado Cristão
Três Cordas
Vencedores
Diferente
Gratidão
Valorizando o Espírito Santo
Visão
Do Lado Certo
Orando a Sós
Uma forma diferente de viver
Nossa Grande Esperança
O Pão da Vida
O Convite
Chamados
Corpo do Senhor
Santidade
Sem Perda
O Desgaste
Construção
Jornada de Fé
Fogo Aceso

Triângulo no Pescoço

"Julguei, contudo, necessário mandar-vos Epafrodito, meu irmão, cooperador e companheiro nos combates, e vosso enviado para prover às minhas necessidades." Filipenses 2:25

No interior de Minas Gerais era costume (talvez ainda o seja) colocar um triângulo de madeira no pescoço de certos bezerros, de bois e vacas maduros em
idade para evitar que ultrapassassem os limites de um pasto para outro. O animal se prenderia dentro da cerca de arame e com o tempo poderia viver sem
aquela peça incômoda.

Ocorre assim com a igreja: ela tem os seus limites de comportamento que servem de proteção contra espaços proibidos. Suas "normas" de conduta podem ser chamadas de "religiosidade" ou até de outros nomes, mas o fato é que fazem parte de nossa proteção.

O apóstolo Paulo recorreu à igreja de Filipos por uma necessidade específica; endereçou sua carta à igreja, não a uma pessoa isolada, pois sabia da "proteção" que a igreja significa.

Por mais que convivamos com fraquezas e deficiências da igreja, ela não encontra substituto com que a compare, pelo contrário, ela é formada por pessoas
que reconhecem seus limites de fraqueza e aceitam viver dentro deles, cabendo a cada qual saber onde e em quê colocar o triângulo no pescoço.

Pr. Ary da Costa Cabral