IBC Santo André





Clique para visualizar:


Fogo Aceso
Feliz Ano Novo!
Símbolos e Realidade
Natal com Jesus
Ilhas da Vida
Fé e Paciência
Mesa do Senhor
Prioridade: Família
Mantenha a Fé
Jesus Voltará
Fazer Discípulos
Choro Amargo
Anjo da Liberdade
Pai Nosso
A Escolta
Jesus e as Leis
Novo que se Renova
Milagres Lá Fora
Pequenas Coisas
Princípio e Fim
Princípio e Fim
Julgar
Experiência
"Luz"!
Um Roteiro de Vida
Soldado Cristão
Três Cordas
Vencedores
Diferente
Gratidão
Valorizando o Espírito Santo
Visão
Do Lado Certo
Orando a Sós
Uma forma diferente de viver
Nossa Grande Esperança
Triângulo no Pescoço
O Pão da Vida
O Convite
Chamados
Corpo do Senhor
Santidade
Sem Perda
O Desgaste
Construção
Jornada de Fé
Fogo Aceso

Por que 25 de dezembro?

Sem dúvida, o Natal é a grande noite do ano: fim de um período de 365 dias (doze meses), um tempo de avaliação, reunião de família, troca de presentes, passeios e abraços.

A data 25 de dezembro é celebrada mundialmente, menos pela igreja da Armênia, que celebra o Natal em 6 de janeiro por acreditar que Jesus foi batizado neste dia.

Alguns historiadores falam da data como alusiva a festividades pagãs na antiga Pérsia, cultuando um touro que era morto no final das festas, ou ao nascimento do sol (latim "Natal do Sol", de onde se originou a palavra Natal).

No século IV d.C., no império romano, havia a festa pagã do mitraismo, como esportes, religiosidade, banquetes, comida, bebida, namoro, visitas e casas enfeitadas. O dia 25 de dezembro era o ponto culminante, considerando "dia do nascimento do deus Mitra". Por tradição criam que Mitra nasceu numa caverna da Pérsia (sec. II a.C.), teria doze companheiros, e, como Jesus, também teria morrido e ressuscitado. O dia 25 de dezembro também marca as Saturnálias (ou Saturnais), festas pagãs ao deus Saturno (no império Romano), que se confundiam com as homenagens a Mitra.

Apesar disto, não é correto dizer que o Natal teve origem pagã. Natal é celebração do nascimento de Cristo, e as festividades pagãs foram substituídas pela festa cristã. Foi uma transferência automática. Foi no ano 354 d.C. que 25 de dezembro ficou no calendário mundial. Natal era comemorado em várias outras datas, como 6 de janeiro, 25 e 28 de março, 18 e 19 de abril e 30 de maio.

O importante é que o cristianismo venceu o paganismo.

A controvérsia quanto a comemorar o Natal como o fazemos na data de 25 de dezembro não é de agora. Mesmo nos Estados Unidos só se tornou uma data com feriado nacional depois de 1870.

O Natal de Jesus, sem dúvida, tornou-se um patrimônio da humanidade.

O nosso abraço e Feliz Natal!

Pr. Ary da Costa Cabral